[Resenha] – Jurassic World

JW

Ao sair do cinema e postar minha primeira impressão sobre o filme, essas foram minhas palavras: “É o filme ruim mais divertido que já vi”.

Alguns dias após essa experiência, posso falar um pouco melhor o misto de sentimentos que tive dentro daquela sala de cinema.

JW

Jurassic Park é um clássico. Gostando ou não, há filmes que entram nesse hall e não podem ser retirados de lá. Com o anuncio de Jurassic World, sentimentos de “quero muito voltar aquele lugar” e “mais um remake estragando o original” se misturaram na cabeça dos fãs. Não foi diferente comigo.

Tentando não dar Spoilers nessa mini resenha, posso dizer algumas coisas. O visual do filme está lindíssimo. Apenas semanas após visitar os parques do Beto Carreiro, percebi que houve uma ótima consultoria na montagem do “park” ficcional. Tudo parece estar no lugar e tudo parece muito natural. Longas filas, pessoas saindo pelo ladrão e também aquela excitação natural de quem vai a esse tipo de lugar. Todos nos tornamos crianças la. E nesse ponto devemos falar nas crianças…

JW

O ponto fraco do filme em minha opinião. Desenvolvimento porco, atuações sofríveis e um roteiro que não ajudava aquelas crianças. Um deles, um pequeno hipster e o outro um adolescente estereotipado. Sua maior função é nos mostrar toda a extensão da ilha e nos  levar ao antigo “Park” que eu não sabia estar sediado na mesma ilha onde se passa nosso atual filme.

Incrivel ir de um ponto ruim para o ponto máximo em minha opinião. Não tem como não se emocionar. A música de John Willians nos pontos certos junto as imagens daquele “Park”, o antigo sonho… tudo ali. Um dos maiores “Fã-services” já feitos e que nos mostram o como aquele primeiro filme pode ser inesquecível.

JW

Já quanto aos nossos “adultos”, temos a linda Bryce Dallas que interpreta Claire, tia dos meninos e Workaholic no plantão. Aparentemente ela toma conta do funcionamento do “Park” e ama o que faz. Talvez um pouco mais do que deveria. Já nosso querido Chris Pratt interpreta Owen. Aparentemente um amante da natureza que nos é apresentado como um treinador de Velociraptors  “no amor”.

Tendo apresentado nossos personagens principais, temos uma história simples, conhecida, que em certos pontos foi bem executada e em outros não. Uma espécie de dinossauro modificada geneticamente foge ao controle e ameaça a vida de todos os visitantes do “Park”. Simples não?

É verdade que o aspecto de “Terror” não é tão bem executado quanto no primeiro filme da série. É verdade que o roteiro não ajuda ninguém. É verdade que é possível prever o final do filme com 10 minutos do mesmo. Mas… *SPOILER ALERT*…. Ver um dinossauro lutando em cima do outro foi demais pro meu coração. Nesse momento do filme eu já tinha jogado pro alto qualquer racionalidade estava curtindo tudo como se fosse um grande vídeo game. Esse é o grande conselho que posso dar para quem ainda não viu o filme. Aproveite a experiência e esqueça o resto. Você será mais feliz assim.

Foi muito bom retornar a Isla Nublar. Provavelmente nunca mais voltarei, mas, aproveitei cada instante desse retorno.

Parabéns aos envolvidos.

Herbert PH

About Herbert Parasio

Apenas um Khara buscando pessoas que queiram ouvir suas histórias.